Justiça

Para Aras, o inquérito das fake news tem “exorbitado dos limites”

28 de Maio de 2020 às 16h05 - Por: André Richter - Repórter da Agência Brasil Foto: Divulgação // TSE
[Para Aras, o inquérito das fake news tem “exorbitado dos limites”]

Procuradoria-Geral da República diz que não mudou de posição sobre a investigação

O procurador-geral da República, Augusto Aras, afirmou nesta quinta-feira (28) que não mudou de posicionamento sobre a constitucionalidade do inquérito aberto pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar a divulgação de notícias falsas e ameaças contra os ministros da Corte. Em nota divulgada para esclarecer matérias jornalísticas, Aras disse que tem se manifestado pela validade do inquérito apenas nos fatos que envolvem a segurança e a vida pessoal dos ministros. Segundo Aras, o inquérito das fake news tem “exorbitado dos limites” e não houve mudança de posicionamento. 

“Pela primeira vez, o ministro relator instou a PGR a opinar sobre as diligências pretendidas, o que foi feito no último dia 19. Surpreendido com a realização das diligências sobre as quais me manifestei contrariamente, por entender serem desproporcionais e desnecessárias por conta de os resultados poderem ser alcançados por outros meios disponíveis e menos gravosos, solicitei ao relator da ADPF 572, ministro Edson Fachin, a suspensão do mencionado inquérito 4.781, apenas até que o STF possa, por seu órgão plenário, estabelecer os contornos e os limites desse atípico inquérito e esclarecer como será a participação do Ministério Público”, esclareceu. 

Ontem (27), o procurador-geral pediu a suspensão do inquérito. A solicitação foi encaminhada ao ministro Edson Fachin, relator de uma ação da Rede Sustentabilidade (ADPF 572), protocolada no ano passado para contestar a forma de abertura da investigação. 

No entendimento de Aras, as buscas de apreensões e o bloqueio dos perfis nas redes sociais dos investigados, realizadas ontem, são medidas desproporcionais por se tratarem de liberdade de expressão e “serem inconfundíveis com a prática de calúnias, injúrias ou difamações contra os membros do STF”. 

A abertura do inquérito foi feita em março de 2019. Na época, o presidente do STF, ministro Dias Toffoli, defendeu a medida como forma de combater à veiculação de notícias que atingem a honorabilidade e a segurança do STF, de seus membros e parentes. Segundo o presidente, que nomeou Alexandre de Moraes como relator do caso, a decisão pela abertura está amparada no regimento interno da Corte.

Na ocasião, a tramitação também foi questionada pelo ex-procuradora geral da República, Raquel Dodge, que chegou a arquivar o inquérito pela parte da PGR, no entanto, Moraes não aceitou o arquivamento. 

Comentários

Outras Notícias

[Vídeo: Geddel Vieira Lima deixa presídio para cumprir prisão domiciliar]
Justiça

Vídeo: Geddel Vieira Lima deixa presídio para cumprir prisão domiciliar

15 de Julho de 2020

Segundo STF, defesa atestou que ex-ministro testou positivo para Covid-19

[Justiça de São Paulo decreta falência da Avianca]
Justiça

Justiça de São Paulo decreta falência da Avianca

15 de Julho de 2020

Empresa acumula dívidas de mais de R$ 2,7 bilhões

[TSE veta identificação biométrica no dia da votação para evitar aglomeração ]
Justiça

TSE veta identificação biométrica no dia da votação para evitar aglomeração

15 de Julho de 2020

Veto também evita fila durante as eleições

[A pedido de Fachin, Justiça baiana deve se manifestar em até 48 horas sobre estado de saúde de Geddel]
Justiça

A pedido de Fachin, Justiça baiana deve se manifestar em até 48 horas sobre estado de saúde de Geddel

14 de Julho de 2020

Ministro do STF quer posicionamento da Vara de Execuções Penais de Salvador

[Após 3 meses foragida, mulher de Queiroz se apresenta para cumprir prisão domiciliar]
Justiça

Após 3 meses foragida, mulher de Queiroz se apresenta para cumprir prisão domiciliar

11 de Julho de 2020

Ex-assessor de Flávio Bolsonaro deixou presídio na noite desta sexta-feira (10)

[Justiça indefere recurso de Ronaldinho e brasileiro segue em prisão domiciliar no Paraguai]
Justiça

Justiça indefere recurso de Ronaldinho e brasileiro segue em prisão domiciliar no Paraguai

11 de Julho de 2020

Jogador foi detido após tentar entrar no país utilizando documentos falsos

Galeria

[Barragem se rompe e inunda ruas da cidade de Coronel João Sá]

Barragem se rompe e inunda ruas da cidade de Coronel João Sá

11 de Julho de 2019

Ver todas as galerias

Vídeos

[Prefeito de Itabuna afirma que reabertura do comércio vai acontecer “morra quem morrer”]

Prefeito de Itabuna afirma que reabertura do comércio vai acontecer “morra quem morrer”

03 de Julho de 2020

Ver todos os vídeos